Podemos perfeitamente levar para a canção o que diz o poeta (Carlos Loures em Falemos de Paisagem). Tento fazer isso. A canção por si só nada é. Entendo-a como uma forma de comunicar com as outras pessoas. Com as minhas canções pretendo chamar a atenção para os problemas que se me põem, fomentar a sua discussão, ter o prazer em cantá-las e dar prazer aos que me ouvem, para que em conjunto, possamos contribuir para a sua resolução; não me parece que o útil e o belo, o prazer e os problemas sejam incompatíveis. É nesta ordem de ideias que se integra o meu trabalho, do qual estas canções são resultado. Elas não estão localizadas no espaço embora o estejam no tempo, neste em que vivemos.
António Pedro Braga
  • K7 Rio de Janeiro - 1976
  • Fundão
  • Lisboa 2017
  • Texto: O Racismo Não Existe:
            1 - 2 - 3 - 4 - 5
  • AP Braga e a Censura

  • Canto de Intervenção 1960-1974,Eduardo M. Raposo,2ª edição revista e aumentada,PÚBLICO, Abril de 2005,ISBN : 972-8892-43-8
    Letras das Músicas

    Soldadim Catrapim
    O menino negro não entrou na roda
    Roda da senhora Rainha
    Canção para desfazer equívocos
    Cavalo de várias cores
    Caixinhas

    "Terra Nossa" (I e II parte) e versão em português de «Soldiers Who Want To Be Heroes», de Rod McKuen, são da autoria do Grupo de Teatro da Associação de Estudantes do Instituto Superior Técnico.

    Vídeos
    AP Braga canta Zeca Afonso Cavalo de Várias Cores Soldadim Catrapim Caixinhas Canção para desfazer equívocos
    Soldiers Who Want To Be Heroes Terra Nossa I Terra Nossa II O menino negro não entrou na roda Soneto da viagem a Marte
    A que morreu às portas de Madrid Na vida somos iguais AP Braga na AJA Lisboa Duendes, Gnomos, Bruxas e Fadas Rosie - na AJA Lisboa
    Se eu nunca disse